Hac.Ora – neste instante, nesta hora, em latim, porque somos latinos e porque é agora o momento.
 
É agora pela determinação em ajudarmos a desenvolver em Portugal um conceito de habitação colaborativa, que outros países europeus aplicam há muito no seu contexto cultural, e que pela alteração da esperança de vida e da própria forma como se vive hoje na Europa do Sul, se faz sentir para nós neste instante de forma clara.
 
Em Portugal temos cidadãos que se vêem no dia-a-dia sozinhos em casas enormes que já foram para uma família, com reformas insuficientes e despesas fixas que comportam em detrimento da sua qualidade de vida, sem convívio frequente, sem estímulos de vida activa. Temos jovens que não encontram habitação para alugar ou comprar ao nível dos seus salários, perpetuando a estadia na família sem possibilidade de poder viver o seu espaço de adultos.
 
Os exemplos de cohousing na europa do sul já começam a ser significativos, e nós vamos acompanhá-los. E desenvolver esse sistema de vida sustentável, em função das necessidades pessoais, partilhando o espaço social e as despesas que podem ser comuns (internet, biblioteca, sala de convívio, lavandaria, oficina de reparação, ginásios, espaços de bem-estar, são apenas exemplos a adequar a cada grupo de cohousers).

Vamos trabalhar juntos o cohousing em Portugal? Vamos conhecer gente com os mesmos interesses, apoiar na formação de grupos que queiram criar polos de habitação colaborativa (e.g. cohousing), incentivar a integrar seniores e jovens num grupo de amigos ou de futuros amigos? Vamos todos ser cidadãos activos? A Hac.Ora cá está para apoiar o cohousing em Portugal.

Inscreva-se como nosso associado sem custos, proponha-se para um cohousing individualmente ou em grupo aqui no nosso site.

Se quiser propor-se como voluntário, mande-nos um e-mail para hacora@hacora.org e diga-nos a sua àrea profissional e todos os dados que nos permitam enquadrá-lo na nossa bolsa de voluntários.

Notas sobre cohousing

Um cohousing é uma comunidade intencional e autogerida, na qual espaços e instalações comuns complementam as habitações privadas. Este modelo alternativo está inserido no conceito abrangente de ‘habitação colaborativa’, que engloba vários modelos de habitação autogerida, tais como cooperativas de habitação, Community Land Trusts (CLTs), abordagens de autoconstrução, entre outros.

Criado na Escandinávia nos anos sessenta e movido principalmente por questões ideológicas (fortalecer o sentido de comunidade e estimular estilos de vida mais sustentáveis), o cohousing tem ganho progressiva popularidade nas últimas décadas em vários países da Europa, nomeadamente Espanha e Itália.

Hoje em dia, vários são os motivos que impulsionam o desenvolvimento de projetos deste tipo: não só de cariz ideológico, mas também prático (reduzir a carga do trabalho doméstico, como cozinhar e limpar), económico (encontrar formas acessíveis de se viver na cidade) e social (aumentar a inclusão social, assim como promover o envelhecimento ativo e o combate à solidão).

Tipicamente, a gestão e manutenção de um cohousing são feitas pelos residentes. São criados grupos de trabalho para lidar com as diferentes tarefas, desde a gestão financeira à preparação de refeições comuns. Também se organizam várias actividades colectivas, como jantares, workshops e eventos culturais.

A ideologia da habitação colaborativa pode estender-se à vizinhança. O reforço do sentido de comunidade não se resume aos limites físicos do cohousing. Muitos grupos que vivem em projectos de cohousing organizam actividades ou eventos comuns com os vizinhos, gerem hortas comunitárias, ou alugam os seus espaços comuns a grupos externos.



REGISTOS DA NOSSA CONFERÊNCIA FUNDACIONAL HAC.ORA © Maria Begasse REALIZADA EM 22/02/2019 NO PORTO


Clique nas imagens para aumentar.

hacora@hacora.org